Cafés-Convívio

O Café-Convívio (espaço de atendimento) surgiu como primeira resposta terapêutica do Desafio Jovem. É uma resposta de primeiro contacto, desenvolvida num contexto informal, de atendimento gratuito e direto a toxicodependentes e famílias.

É neste espaço que se inicia o processo de admissão, durante o qual, os interessados serão acompanhados regularmente. Nesse período, são apresentados aos interessados o modelo e regras de funcionamento da instituição, os valores que esta veicula bem como as dificuldades que, sabemos, tal percurso poderá apresentar. Será igualmente avaliada a trabalhada a capacidade do interessado e motivação para se empenhar e respeitar um contrato terapêutico.

Presentemente, existem Cafés-Convívio e pontos de contacto a funcionar por todo o País, quer administrados diretamente pelo Desafio Jovem quer em parceria com Igrejas locais ou associações, com quem se estabelecem protocolos de cooperação.

Cafés Convívio  •  Pontos de Contacto

 

Equipa de Rua

A Equipa de Rua do Desafio Jovem, intervêm na área metropolitana de Lisboa e procura prestar apoio junto da população excluída socialmente tais como toxicodependentes, alcoólicos, indivíduos em condição sem-abrigo, desempregados, indivíduos em situação de debilidade física e/ou psicológica.

Tem como objetivos informar/divulgar sobre a problemática das dependências, sensibilizar para os riscos e danos dos consumos abusivos de substâncias psicoativas e para a propagação de doenças infectocontagiosas. Pretende, através da sua intervenção, estabelecer um contacto mais direto e interpessoal no local de consumo, visando providenciar estratégias de mudança, quer ao nível das atitudes e dos comportamentos de risco face ao consumo, quer ao nível do impacto na comunidade, mas sobretudo ao nível dos projetos alternativos de vida.

Nesse sentido, procura incentivar os indivíduos com problemas de dependências a considerarem a adoção de um estilo de vida sem consumo de substâncias psicoativas, recorrendo às comunidades terapêuticas como suporte de tratamento mais estruturado e prolongado.

 

Hospitais

Nos últimos 20 anos o Desafio Jovem acompanhou, regularmente, pessoas com problemas de dependências, em situação de internamento hospitalar.

Considerando-se este um momento de fragilidade, agravada pelas complicações de saúde, a atividade da equipa consistia não só no acompanhamento psicosocial mas, também, no estimulo à opção de estilos de vida mais saudáveis, com possibilidadde de internamento direto em comunidade terapêutica da instituição.

Atualmente, por questões de politica hospitalar, a intervenção é realizada de acordo com a solicitação do doente ou dos serviços sociais do hospital, tendo em vista  avaliação de possível admissão ao programa terapêutico do desafio Jovem.

 

Prisões

A intervenção desenvolvida pelo Desafio Jovem no meio prisional, em Portugal, remonta à sua génese no início dos anos 80. Considerando que um número significativo dos detidos em estabelecimentos prisionais (preventivos e condenados) estiveram ou estão, directa ou indirectamente, envolvidos com  substâncias psicoativas, o Desafio Jovem estruturou um departamento de assistência regular a reclusos de ambos os sexos (toxicodependentes e não só) em várias zonas do país.

A assistência aos reclusos é realizada numa base semanal, dinamizando grupos de treino de competências e acompanhamento individual.

Através das acções desenvolvidas pela equipa, mediante autorização judicial, é concedida aos reclusos que assim o manifestem, a possibilidade de ingressarem numa das comunidades da instituição, tendo em vista o cumprimento do seu programa terapêutico

Paralelamente, se solicitado, é possível assistir os familiares do recluso em acompanhamento.